Minha primeira peça de design: breve entrevista com Winnie Bastian

Aliar funcionalidade, estética, conforto e durabilidade em um produto estão entre as atribuições de um designer. Geralmente, uma peça de design assinado possui formas atemporais e autênticas, acabamento impecável e é feita com materiais de qualidade superior (e muitas vezes ecologicamente corretos). São peças para quem busca levar autenticidade, conceito e qualidade para casa. E foi pensando em conhecer um pouco mais sobre a relação das pessoas com o design que lançamos a série de entrevistas ‘Minha primeira peça de design’. A ideia aqui é abrir espaço para compartilhar diferentes visões sobre o design autoral e boas escolhas.

Para abrir a série, convidamos Winnie Bastian, curadora das edições 2019 e 2020 da DW!, jornalista e arquiteta. Fez mestrado em Moda, Cultura e Arte, mas sempre trabalhou como jornalista de design, tendo mais de 20 anos de experiência na área.

1. Winnie, qual foi a primeira peça de design assinado nacional que você comprou para sua casa?

Foi a luminária pendente Disco (2004), de André Wagner para a Lumini.

O designer André Wagner e a luminária 'Disco'

*A peça ficou em 2º Lugar na Categoria Iluminação do Prêmio Museu da Casa Brasileira de 2004.

2. Você ainda tem a luminária? Em qual ambiente ela fica?

A luminária Disco instalada no quarto infantil

 

Tenho sim. Originalmente a luminária ficava na sala de jantar, mas hoje fica no quarto da minha filha.

3. Qual foi o fator decisivo na hora de comprar essa peça?

O principal fator foi a versatilidade da luz, que pode ser orientada para baixo, para o teto ou para ambos a partir de um mecanismo muito simples (um pino no centro da luminária gira um disco na parte superior, que, por sua vez, barra (total ou parcialmente) a luz para baixo e direciona-a para cima em proporção equivalente. Além disso, gera uma luz muito agradável e confortável aos olhos, sem qualquer ofuscamento.

4. Qual peça de design autoral brasileiro é seu objeto de desejo? Por que?

mesa de jantar Guarujá (1959), de Jorge Zalszupin | Foto via etel.design

 

Ah, que difícil! Tenho algumas… mas vou citar aqui a mesa de jantar Guarujá (1959), de Jorge Zalszupin. Criada há mais de 60 anos, é uma peça que não envelhece — aliás, é super contemporânea. A base em concreto revestido de couro é genial e superelegante, enquanto o tampo taqueado, além de lindo, já revela uma preocupação com a produção de peças ambientalmente amigáveis.

Quer ficar por dentro das melhores oportunidades de peças de design autoral? Assine nossa newsletter e acompanhe o lançamento da DW! Oportunidades.

Qual foi sua primeira peça de design? Conta pra gente nos comentários =)

Compartilhar

Share on facebook
Share on pinterest
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Uma resposta

Os comentários estão desabilitados.

DW! Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias exclusivas do festival e do universo do design, arquitetura e decoração. Cadastre seu e-mail:


    Você poderá cancelar a assinatura a qualquer momento.

    Consulte nossa política de privacidade.