Designers em quarentena: Leon Ades

Foi em 2015, na Nova Zelândia, que o designer Leon Ades descobriu sua paixão pela madeira. Leon então, investiu em um curso intensivo no Center for Fine Woodworking. De volta ao Brasil, montou sua própria oficina e continuou praticando, estudando e trabalhando. “Trabalho sempre com a madeira em sua forma natural – maciça – e utilizando acabamentos naturais. Assim, no final de sua longa vida útil, o móvel poderá retornar de maneira regenerativa à biosfera, sem ser mais um produto poluente”, comenta o designer.

Leon é nosso convidado para o Designers em quarentena: um ciclo de entrevistas com designers de todas as áreas e breves conselhos sobre leituras, filmes, receitas e músicas a serem descobertos (ou redescobertos).

1. O que te acompanha nessa quarentena? 

Minha querida oficina – por trabalhar e morar sozinho, posso continuar com a minha produção (sem ter que encontrar ninguém) e aproveitar o tempo extra para pensar em peças novas e rever outros aspectos do andamento do meu trabalho de modo geral.

2. Um livro para mergulhar.

Ideias Para Adiar O Fim do Mundo, do Ailton Krenak. Leitura curta, mas muito impactante. Condensa duas palestras de um dos maiores líderes indígenas do Brasil refletindo e questionando os rumos que tomamos nos tempos atuais.

3. Um filme para assistir.

Dominion – um documentário que, através de filmagens escondidas, expõe os abusos cometidos aos animais dentro do que são consideradas práticas padrões da indústria alimentícia, da moda e do entretenimento. Em meio a uma pandemia de origem zoonótica, acredito ser de extrema urgência que todos repensem e abandonem alguns velhos hábitos .

4. Um álbum (ou playlist) para ouvir em loop.

Circles – álbum póstumo do Mac Miller.

5. Uma série pra te absorver.

One Strange Rock, série-documentário contada por 8 astronautas sobre como a vida surgiu, e apesar de tanta fragilidade, continua existindo no planeta Terra.

Midnight Gospel. Uma animação que se baseia em entrevistas realizadas no podcast do Duncan Trussell, abordando temas que vão desde meditação e magia até morte e apocalipse.

6. Um personagem. Uma história que te inspira.

Paul Watson, fundador da Sea Shepherd

7. Off-line: você larga smartphone e computador para….

Yoga e meditação. Por mais clichê que possa parecer no momento atual, é algo que me acompanha desde os meus 16 anos e se mostra cada vez mais indispensável na minha vida.

8. O que você tem mais gostado na sua casa neste período de isolamento? O que está bom e o que precisa melhorar?

O que mais tenho gostado em casa é a varanda, que recebe sol durante todo o período da manhã e a parede de escalada que construí na minha garagem para poder continuar ativo em tempos de quarentena.

9. Uma solução de design que fez diferença no seu dia a dia durante o isolamento.

A rede: uma solução genial na minha opinião. Sempre gostei, mas seu uso tem sido cada vez mais agradável neste momento de introspecção. Tenho a sorte de ter uma amoreira bem na frente da minha casa, a qual fica cheia de sabiás e outros pássaros. Gosto de deitar nela de manhã tomando o meu café e aproveitar um pouco do sol.

10. Algo que fez muita falta e algo que não fez falta alguma durante o isolamento?

O que me faz mais falta é poder ir pra praia, poder praticar os esportes que eu gosto ao ar livre e estar próximo da minha família e amigos. O que não me faz falta é a dificuldade de deslocamento dentro da cidade e o ritmo frenético do dia-a-dia em São Paulo.

Leia também a entrevista com Vanessa QueirozSergio Fahrer. Siga-nos no Instagram e não perca nenhuma notícia: @designweekendsp.

Compartilhar

Share on facebook
Share on pinterest
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp